“Contos do Brasil”, de Rinaldo de Fernandes, será lançado em João Pessoa – .:: DESTAQUEPB.COM.BR ::.

“Contos do Brasil”, de Rinaldo de Fernandes, será lançado em João Pessoa

O escritor Rinaldo de Fernandes vai lançar dia 7 de junho (quinta-feira), a partir das 19h30, no bar Cabaré Brasil, em Tambaú, o seu novo livro, intitulado “Contos do Brasil”.

O livro reúne aqueles que o autor considera os seus melhores contos. Rinaldo de Fernandes, escritor premiado, tido como “Mestre do conto” por Regina Zilberman, uma das mais importantes estudiosas de literatura do Brasil, já publicou três livros de contos, “O perfume de Roberta”, “O professor de piano” e “Confidências de um amante quase idiota”, e dois romances, “Rita no pomar” e “Romeu na estrada”.

Os contos deste novo livro abordam doze temas brasileiros: a violência, a prostituição, o sem-teto, o patrão e o empregado, a corrupção, o machismo, a velhice, o preconceito racial, a religião e a cobiça, o carnaval, o consumo e o sertão profundo. A divisão dos contos em seções temáticas decorre de uma necessidade didática: a ficção de Rinaldo de Fernandes tem sido objeto de estudos em universidades. Já saíram inúmeros ensaios, monografias de conclusão do Curso de Letras, dissertações e teses sobre seus contos e romances. Como destaca o próprio escritor em nota introdutória, a divisão “é, antes, para facilitar a vida do leitor, serve de porta de entrada aos contos. Já a porta de saída… O conto nunca anda em linha reta rumo a um ponto final”.

Do livro constam contos soberbos de Rinaldo de Fernandes, como “Beleza”, vencedor do Prêmio Nacional de Contos do Paraná de 2006. O absurdo da situação vivida pelo protagonista torna esse conto um dos mais comoventes da literatura brasileira contemporânea. Como comovente e bizarro é “O perfume de Roberta”, um relato sobre uma adolescente prostituída por um advogado nas madrugadas frias de São Paulo. Aterrorizante é “Duas margens”, que narra as angústias de duas mulheres traídas e cujo desfecho é um dos mais terríveis do nosso conto recente. “Duas margens” já virou um curta de Ian Abé que foi selecionado para vários festivais de cinema no Brasil. “O professor de piano”, com um fluxo de consciência intenso e um personagem agônico, quase leva o leitor às lágrimas. “Ilhado” ganhou na ‘Folha de S. Paulo’ comentário de Marcelo Coelho, que o situa entre os contos mais violentos de nossa literatura desde os anos 60. “Confidências de um amante quase idiota”, conforme o escritor Nelson de Oliveira, “é um dos contos mais canalhas que já foram produzidos em língua portuguesa”. E tem também “O cavalo”, muito aplaudido pela crítica (o poeta Mário Chamie foi um dos que o comentaram, enaltecendo-lhe a construção). “O cavalo”, que retrata um rompimento amoroso, é cinematográfico – e de um lirismo arrebatador, com as imagens da mulher, montada num cavalo, seguindo à noite pela praia em meio às sombras dos coqueiros, o mar rebrilhando.

Rinaldo de Fernandes já foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura com o romance “Rita no pomar”, que, além de ter gerado inúmeros estudos acadêmicos, já caiu em vestibulares. É doutor em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e professor de literatura da UFPB. É também muito conhecido pelos livros que publicou sobre Chico Buarque, como o “Chico Buarque do Brasil”, que saiu em 2004 por esta Garamond e que virou best-seller.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *